3634 (1)

Banco de inspirações

7 de abril de 2015

Bancos e banquetas não servem apenas para sentar. Eles são um verdadeiro curinga na decoração e, talvez por isso, tantos designers canalizem sua força criativa para novas e ousadas versões desse utilitário tão primitivo na história do mobiliário.

Entre os finalistas do Salão Design 2015, dezenas de profissionais estão representados por seus banquinhos – alguns sóbrios, outros excêntricos, mas todos pautados pelo aprimoramento dos processos produtivos.

Conheça os finalistas que compõem o “banco de inspirações” do Salão Design 2015.

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para Sala de Estar e Jantar

Projeto: Banqueta Tupi

3415 (2)

Um objeto para consumidores que valorizam itens com cunho social e valor histórico. Fabricado com multilaminados de madeira em prensa quente e retalhos

de madeira maciça. O detalhe têxtil é feito em tear artesanal com resíduos de tecido. A ergonomia é conferida pelo tecido e a possibilidade de troca do assento confere versatilidade ao produto.

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para sala de estar e jantar

Projeto: Banquinho Sim

3825 (3)

Simplicidade é o conceito que delineia o Banquinho Sim em todo o seu processo, da forma ao material. A união do compensado com alumínio confere equilíbrio. São quatro pés em compensado curvado e três furos para fixação do assento. Os parafusos são prensados para que possam ser rosqueados nas porcas cegas com o simples uso de uma moeda ou chave simples.

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para sala de estar e jantar

Projeto: Banco Fragata

 3985 (1)

O banco alto de bar Fragata traz um sistema simples e independente de regulagem da altura do apoio para os pés, inspirado nas cordas das embarcações. O sistema per­mite regular três alturas. A geometria do objeto com linhas oblíquas remete aos navios fragata, assim como a vis­ta lateral do banco, inspirada no perfil da ave de mesmo nome.

 

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para Área Externa

Projeto: Banco Itararé

3656 (2)

Feito em concreto armado e madeira maciça, o banco propõe uma solução interessante que dá ao ambiente um ar mais moderno. O nome Itararé, de origem tupi-guarani, significa pedra que o rio cavou. Na verdade, pode ser usado como mesinha, banco, apoio para jarros de plantas ou até mesmo apoio para alcançar locais mais altos. Apesar dos materiais adotados, sua aparência é leve e descontraída.

 

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para Área Externa

Projeto: Banco Ciranda

 3782 (1)

É um banco para duas ou quatro pessoas aplicável em vários ambientes, como salas, varandas ou salão de festas. Propõe a interação social dos indivíduos e apresenta formas minimalistas e inusitadas. A sobreposição de módulos cria um móvel único e inovador. É leve sem perder sua estabilidade. O corte simples facilita seu processo de fabricação.

 

 

Modalidade: Estudante

Categoria: Móveis para Área Externa

Projeto: Cadeira Akitãi

 3826 (2)

A ideia desse produto é sentar para relaxar. Akitãi em tupi significa ‘’baixo, baixa estatura’’, e fez referência ao modo de sentar agachado dos povos indígenas. Ovalado, o banquinho ainda promove certo balanço que permite o movimento. Feito inteiramente de madeira Cumaru-ferro, pode ser envernizado ou polido, mas não pintado, garantindo que a cor da madeira seja preservada.

 

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para Dormitório

Projeto: Banco Sela

 3313 banco sela

Os assentos formados por peles de couro natural remetem ao universo do campo. A base, com blocos maciços de madeira, reforça a rusticidade daquele ambiente. A utilização de técnicas e estilo da marcenaria tradicional faz com que a peça, embora de

estética contemporânea, transmita ares de móveis brasileiros clássicos dos anos 50 e 60. Os pés são em madeira maciça usinada, as travas em madeira maciça e o assento

em couro com travamento através de barra de madeira.

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para Dormitório

Projeto: Pila

 3634 (1)

Empilhar, sentar-se e apoiar faz parte do modo de uso desse conjunto de módulos combináveis desenhado para o público jovem. Pila, ou Pilha, é projetado para crianças de seis a nove anos, atendendo ao crescimento da criança e propondo vários cenários de utilização. Os módulos formam um triângulo Reuleaux, uma figura matemática de largura constante, o que reforça o caráter lúdico do produto e o diferencia dos assentos clássicos e superfícies de apoio. O conjunto é composto por quatro partes:

2 módulos de papelão abelha e feltro e 2 módulos de pinho ligados por um sistema de imãs.

 

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para sala de estar e jantar

Projeto: Banco Sela

 3152 (2)

Banco individual de três pés originalmente desenhado para ser usado em situações onde é necessário sentar-se e levantar-se com frequência. Por isso, a sua mais elevada do chão. O assento é um trabalho escultural atraente que oferece ótimo apoio aos pés e à coluna, projetando-a para cima. As peças, todas numeradas, são feitas em variadas madeiras maciças tropicais e trabalhadas com ferramentas manuais e elétricas. O assento é inteiramente modelado à mão livre.

 

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para sala de estar e jantar

Projeto: Banco Boleadeira

 3408 boleadeira

O Banco Boleadeira é uma peça de madeira com detalhes em latão e manta acolchoada. Traz elementos da cultura e da tradição gaúchas aplicados de forma sutil e delicada, combinados com uma fina execução de marcenaria e com um desenho limpo e contemporâneo. As bolas de latão, além de participarem da composição estética do banco, têm a função de manter a manta no lugar. A combinação da madeira com o metal é feita de forma equilibrada e discreta para destacar e valorizar os detalhes.

 

 

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para Área Externa

Projeto: Banco Cantaria

 3148 (1)

A cantaria é a pedra que, tendo sido afeiçoada manualmente, com o uso de ferramentas adequadas, apresenta-se pronta para ser utilizada em construções e equipamentos. Atua ora como elemento estrutural, ora como ornamentação.  Neste projeto, o ferro representa a rigidez necessária para suportar a incansável missão de suportar o peso dos visitantes que utilizam o banco, mas também é o elemento que convida a madeira para ser o apoio de equilíbrio estético e funcional do objeto.

 

 

Modalidade: Profissional

Categoria: Móveis para Área Externa

Projeto: Banco Ratoeira

 3314

Assim como o objeto que inspira o design dessa peça, o travamento da madeira do assento se dá pela “alavanca” ocasionada pela divisão dos tubos dos pés. Garantindo suavidade e leveza, a  madeira maciça do assento foi arredondada e boleada, o  que traz ainda contemporaneidade ao projeto.

Tags:, ,