itarare

Premiados 2015: do concreto com a madeira, surge o banquinho Itararé

21 de julho de 2015

Os estudantes Tarcio Borgo e Mairê Ramazzina estão traçando caminhos profissionais diferentes dentro do design, mas uniram sua paixão em comum pela madeira para criar o Banco Itararé, premiado no Salão Design 2015 na categoria Móveis para Área Externa.

O primeiro é estagiário da Lattoog Design, atua na área de desenvolvimento e prototipagem de mobiliários e tem grande afeição por projetos de design voltados ao público e coletivo. Já Mairê, apaixonado pela identidade brasileira, fundou o Estúdio Ripa, que produz joias em prata e madeiras exóticas, como Pinho de Riga e maçaranduba. itarare

Na edição passada do Salão Design, Tarcio teve uma menção honrosa pelo banquinho Lapa. Com outro grupo de projeto da PUC Rio, ficou em segundo no concurso universitário do Rio+Design, com o projeto de um banheiro químico feminino. O banquinho Itararé nasceu com o propósito inicial de unir matérias-primas opostas, como o cimento e a madeira. O resultado do projeto foi um banquinho apropriado para área externa, mas que não fosse tão pesado, podendo ser movido com facilidade apesar de seu assento em concreto. “Além disso, procuramos manter uma forma limpa e simples para que a peça não entrasse em confronto com a natureza”, contam.

 

Produto premiado no Salão Design 2015

Categoria: Móveis para Área Externa

Premiado: Banco Itararé

 3656 - BANCO ITARARÉ

Feito em concreto armado e madeira maciça, o banco propõe uma solução interessante que dá ao ambiente um ar mais moderno. O nome Itararé, de origem tupi-guarani, significa pedra que o rio cavou. Na verdade, pode ser usado como mesinha, banco, apoio para jarros de plantas ou até mesmo apoio para alcançar locais mais altos.

Tags: