material.indd

Quem é a mulher para quem as empresas falam hoje?

6 de março de 2017

Um estudo da agência 8Total Brand, com escritórios em Porto Alegre e São Paulo, vem mapeando, desde 2012, aspectos que rodeiam o universo feminino e como eles impactam os modelos de consumo. A relação das mulheres com elas mesmas e seus pares mudou. Com isso, mudam também os assuntos e as empresas que as mobilizam. São desafios a serem considerados pelas empresas e pelo design.

São muitos papéis, muitas oportunidades e uma crescente liberdade de escolha. O estudo com mulheres entre 20 e 55 anos traz à tona essa realidade de transformação. Em meio século, seus papéis engessados e pré-definidos passaram a um acúmulo de tarefas e aumento da carga sobre a mulher. O poder de escolha, entretanto, tem dois vieses. A diretora da agência, Luciane Paim, pontua que o desafio delas é dar contas das escolhas e bancar, sem culpa, as renúncias.

Acima da liberdade de escolha, esse novo mundo feminino admite também a liberdade de mudar de ideia. Um apontamento do estudo é que a mulher pode ser muitas e a maioria das escolhas não é definitiva. Isso muda toda a relação delas com o mundo e com o consumo. Para Luciane, as marcas ainda têm muito a evoluir e serão bem vistas no mercado aquelas que conseguirem ser parceiras de suas consumidoras, sem reforçar velhos paradigmas, estereótipos e lugares-comuns.

 

Nove insights sobre a essência do comportamento feminino

#1 Turbilhão

Liberdade para ir e vir sem ter que dar muitas explicações. ‘Ser mulher’ se reconfigurou muito em menos de um século, mas é um movimento que ainda está longe do fim.

 

#2 Vivem as possibilidades

 material.indd

#3 Todas as possibilidades

Multitarefa: ela ainda é, na maioria dos casos, a cuidadora: dos filhos, dos pais, dos amigos, dos colegas de trabalho, do cachorro.

 

#4 Crise dos papéis

Necessidade e ansiedade em ocupar arduamente espaços versus o jeito de ser feminino e sua essência cuidadora. As conquistas e a independência da mulher alteraram toda uma estrutura social, e todos se sentem um pouco perdidos.

 

#5 A nova mulher se revelou capaz de conquistar tudo, até a solidão.

 

#6 Busca pelo equilíbrio

Viver a plena liberdade das conquistas e a plena conquista da liberdade – e das renúncias.

 

#7 Resgate do feminino

Na busca da feminilidade, ela precisa do olhar do homem. é tirar a armadura e sair do campo de batalha.

 

#8 Através do resgate do feminino, a possibilidade de perceber a riqueza da diversidade

É preciso dar espaço, respeitar e se permitir viver a riqueza do diferente, do complementar

 

#9 A possibilidade de um novo encontro na relação entre dois inteiros.

 

 

 

 

Tags:, , ,